segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Nina

Agora
as lacerações
visíveis
gotejam

e os atenuantes
dos corpos
embebidos
no sangue
do inviolável prazer,
único,
repousam

e as tuas mãos,
Nina, 
penteiam
meus cabelos

5 comentários:

  1. doce afago do que resta do sonho
    ou do começo dele
    ...

    forte abraço,
    camarada.

    ResponderExcluir
  2. Leide,

    Também a vírgula, o ponto, o boleto, o fado, o tango...

    bjs

    ResponderExcluir
  3. ...porque onde há letra há som, luz, carne, silêncio...
    E se baila ao som do sonho mudo que grita sombras.

    ResponderExcluir
  4. Uma doçura com nome.: Nina.
    E o repouso que faz renascer.

    beijo

    ResponderExcluir