sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Dilúvio

A chuva não deu trégua durante a madrugada e ainda corria solta pela manhã, alagando as ruas.
A empregada entrou tiritando de frio, e a patroa, alheia ao que acontecia lá fora, perguntou-lhe porque estava atrasada. Sem titubeios, ela respondeu:
– Porque enquanto a senhora se remexia embaixo dos lençóis, eu enfrentava esse dilúvio...

5 comentários:

  1. As diversas faces da chuva... da vida.

    ResponderExcluir
  2. Leide,
    A chuva é sempre uma bênção, não importa a preposição...
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Gente sem água não sabe quem é. Gente sem água não tem lágrima e solidariedade.
    beijosss

    ResponderExcluir
  4. As realidades em reflexos variando conforme as posições assumidas em vidas nunca iguais.

    A chuva: liquido que escorre na contrariedade de alguns, mas que apetece no deleite de outros.

    beijinhos

    ResponderExcluir