sábado, 12 de novembro de 2011

Manicure


Quando amanheceu ela estava de unhas aparadas, cutículas feitas, enquanto uma traça corria para esconder-se entre as dobras do colchão.

4 comentários:

  1. Oh, José Carlos, fiquei tão feliz ao ler o teu comentário no Deslocamentos. Que bom que você gostou. Obrigada pelas palavras. Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Oh, ironias da vida, da cama e da solidão!
    beijoss

    ResponderExcluir

  3. Apanhei para encontrar os textos que, outro dia, eu li.

    Adoro isso, a secura do pouco dito, que o outro entenda como bem lhe convier. Bom retrato daquilo que nos incomoda, mas a gente vai fazendo de despercebido. Melhor mesmo, as unhas bem aparadas!

    Um abraço,

    Suzana Guimarães - Lily

    ResponderExcluir
  4. Nada como madrugar de manicure feita.
    Na perfeição do começo do dia,o incómodo...não há perfeição, de todo.

    beijo

    ResponderExcluir