segunda-feira, 23 de abril de 2012

Cantiga para Lidiane

Ao correr da pena,
por mais que me esquive
o meu amparo
é a palavra solidão

Já somos tão amigos
que a chamo meu bem querer

Quando ela chega,
palavra cantada,
voz suave,
no sítio do meu viver

ainda que não a queira,
insensata,
torna os tristes dias
mais tristes
sem neles me perder.

4 comentários:

  1. Belos versos, José Carlos. Obrigada, meu amigo. Você tem razão, a solidão é nossa amiga, nossa inspiração poética, só não podemos nos perder. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. É isso, Lidiane, escrever é... derramar a lágrima nossa de cada dia. E isto cansa, eu sei. Mas eu ando porque por mim ninguém anda e vou seguindo...
    Abr.,
    José Carlos

    ResponderExcluir
  3. Solidão pode ser uma cadeira confortável. Solidão pode ser uma boa viagem. Solidão depende de quem a carrega, do balanço com que ela se dança.
    Solidão pode vir em poemas. Solidão pode ser um antídoto.
    Solidão pode nos fazer bem.
    Tava com saudades de vir aqui.
    Ando meio ausente. Arrumando meu bloguinho a passos de tartaruga. Mas arrumando!
    beijossssss

    ResponderExcluir
  4. Mas "não se perca de mim", Bípede, e não espere a saudade apertar, venha sempre que possível.
    A solidão está sempre no lugar que a queremos sem nunca fechar-lhe as portas.

    beijoss,

    José Carlos

    ResponderExcluir