sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Pulsação



Toc toc toc
a ono mato peia
entre as sombras
não acende a pena
uma lumine essência,
que non lumine,
para atar a nós,
um agosto sem faísca,
o click no meu corpo,
um hiato, um toc toc
entre os nós, vestígios
na ponta da língua,
o ar comprimido,
veloz, oprimida,
esta espera fugaz,
o lado de fora
pelo lado de dentro
me deixa sem fôlego,
me desmorona.

4 comentários:

  1. Mas é criativo esse menino!!!
    De um toc toc fez bela poesia.

    Beijoss :)

    ResponderExcluir
  2. Ouvi o toc toc - abri, entrei, e me diverti. Que delícia esse carrossel de letras!
    A Bípede me apresenta cada mundo... vou seguindo. Gostei deste mundo aqui também.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Tati,

    Não precisa mais bater para entrar. Ou seguir as batidas da Bípede. Mas lembre-se: sou apenas um escrevinhador de palavras. Literatura ana acepção da palavra só com a Bípede.
    Obrigado,

    ResponderExcluir