segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Curta-metragem



              Para Marie Joséphine,
                                 
Parou na esquina da vida,
uma bola de sorvete
fez-lhe a festa, e disse: 
Isso é a poesia.

sábado, 8 de setembro de 2012

Limite


Aqueles papéis rasgados,
deixa-os estar ali
à beira da cesta

onde dormem uma ausência
desapego sem nome
chão de saudades
e palavras partidas

Pendem outras coisas
entre eles,
mas deixa-os estar ali:
incólume história
águas e tempos sem abrigo
desalinho da vontade

Deixa-os estar ali:
ponto zero da discórdia
e das falas extintas,
ondulantes,
precipício que me dói

tingindo o avesso da paixão,
coisas de nós no espelho 
dourado de amarelo pálido.