sexta-feira, 21 de março de 2014

À chegada do outono



nas escarpas do silêncio
sem pergaminhos
escorregam
palavras navegáveis

centelhas, 
clarão, 
coisas vãs
e uma lúbrica casa vazia
ancorada na pedra

flutuam à minha frente
estilhaçando
a sede trançada em cipós

e queimando
estão os teus lábios róseos
entre 
a luz das amoras e o tendão de Aquiles

o que eu não faria
por uma noite
                         de alento no teu corpo
com a chegada do outono?

(José Carlos Sant Anna)  

Visite o meu outro blog 
www.duvidasaquilinasblogspot.com.br 

Visite o site da Quarteto Editora 
www.editoraquarteto.com.br





sábado, 1 de março de 2014

Poética



Entre a folia e a casca,
o sêmen se camufla
dançando o baile do vento,
e o pequeno caule,
que se prende à terra,
é a palavra que rasga 
a semente.

Pálido transpõe a terra:
um pássaro sem nome,
um verbo de pé;
broto, emerge, alça voo.
É uma lâmpada tão perto;
é a luz do próprio parto.
Vicejam granulados pretos
na folha branca. 

(José Carlos Sant Anna)


Visite o meu outro blog

Visite o site da Quarteto Editora