terça-feira, 6 de maio de 2014

Inefável mote



Brooke Shaden


além da margem, uma abóbada joanina.

é nela que lavro um rio incógnito
e uma geografia inconsútil
do teu corpo
para navegar
sobre tuas águas uma lição de coisas
esculpindo curvas e meneios
num corpo a corpo
pelas ribanceiras.

é nela que um céu em chamas 
tomba
e verga-se ao vento
percutindo
o gozo do pêndulo.  

(José Carlos Sant Anna)

Visite o meu outro blog

Visite o site da Quarteto Editora




10 comentários:

  1. Belas geografias e agradáveis meandros de rios sensuais.
    Abraço caro amigo.

    ResponderExcluir
  2. Querido poeta, você inundou-me a mente com curiosos pensamentos, indizíveis deduções, ávidas emoções... Fez isso com muita classe.
    José Carlos, parabéns, beijos!!!

    ResponderExcluir
  3. Uma geografia algo erótica e muito poética.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  4. Navegar no corpo da amada com muita poesia . Lindo , José Carlos . Agradeço a partilha , como sempre . Beijos

    ResponderExcluir
  5. Imagens belas e raras... Preciso voltar!
    beijos

    ResponderExcluir
  6. no fim de tudo há satisfação... ao menos!

    beijo, poeta admirado!

    ResponderExcluir
  7. Intensidade e beleza inefáveis _impossível dizer algo que acrescente.
    Só há encantamento em mim.
    e fica o abraço forte

    ResponderExcluir
  8. Perdi-me em arquiteturas longíquas.
    Encontrei-me em geografias de rios caudalosos, silenciando o navegar de corpos que se diluem, não sem antes subirem aos céus.

    Um inefável mote, sem dúvida.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  9. OI JOSÉ CARLOS!
    NAVEGAR, NESTE RIO, DE PURO ENCANTAMENTO...
    MUITO BONITO.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Eis um poema fatal!

    Outro beijo, caríssimo.

    ResponderExcluir