quarta-feira, 4 de junho de 2014

Entre outras coisas


foto: Parque Lage - RJ (arquivo pessoal)


Permanecem outras palavras no ar:

órfão das chuvas
e das iniquidades

me abrigo das intempéries
sob uma marquise
calcinada

febril atravesso
a infância sem biografia

apagando dos olhos e da memória
a túnica da escassez e da falta;

assedio os escombros das nuvens
e das lembranças dos meus mortos,

pois hei
de reconstruir o muito
que deixei na penumbra do alheio
e do espanto de última hora,

e me afasto dos desvãos dos tomos
e das infrações que, desgarrados,
corroem outros viventes.

(José Carlos Sant Anna) 

Visite o meu outro blog 
www.duvidasaquilinasblogspot.com.br 

Visite o site da Quarteto Editora 
www.editoraquarteto.com.br

17 comentários:

  1. Mas é isso, o que importa ]e a permanência das palavras.
    Abraço caro amigo.

    ResponderExcluir
  2. José Carlos , entre outras coisas devo afirmar que a foto é bela e o poema maravilhoso . Obrigada por partilhar e também pelas visitas generosas que me faz . Beijos

    ResponderExcluir
  3. Desse exame de consciência, deverá surgir a luz que ajudará a reconstruir o que se perdeu nas curvas da existência.
    Belo, José Carlos.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Entre outras coisas:
    há sóis, chuvas tempos de todos os tempos.
    Faltas, perdas, a vida que se atravessa poros que respiram.

    Entre outras coisas:
    equilibram-se reconstruções,
    lembranças e palavras que se tornam pele.

    beijinhos

    ResponderExcluir
  5. (Primeiro, silêncio)... Teus versos encarnam-se em corpos tão diferentes, e todos eles me alcançam. Saudades. "Assedio os escombros das nuvens"!...

    Beijos, poeta...

    ResponderExcluir
  6. [.....silêncios que pedem
    que pouses
    o breu do teu
    contemplar
    sobre claras carnes nuas]


    ô coisa mais linda de se ler!!!!

    ResponderExcluir
  7. Permanecem outras palavras no ar:

    órfão das chuvas
    e das iniquidades

    Gostei.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  8. Bom dia José Carlos.
    No silencio e das lembranças passadas sempre a algo bom de recordar, uma linda imagem e escrita. Ainda ausente do virtual,mas vim lhe desejar um feliz e alegre més de agosto.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Palavras maravilhosas, que adorei ler.

    Beijo
    Bom sábado

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  10. Um poema para se sentir e afagar o imagético das palavras...
    :)

    ResponderExcluir
  11. Rever o passado na memória estimula os desafios _ " reconstruir o muito que deixei..." é reconfortante .
    _ também queria me proteger numa ''marquise calcinada...'rs
    Te vi nesse horizonte azul belíssimo do mar de Salvador,Foi um lindo dia ( apesar do jogo da Suiça e da praia avermelhar-se de gringo ,de modo surpreendente)
    "entre outras coisas" _ saber que havia um amigo por perto deixou a cidade ainda mais bela, um dia eu volto ok?
    um abraço.Muitos abraços.

    ResponderExcluir
  12. Venho celebrar o trimestre passado desde esta última postagem, entre outras coisas..

    Também me apresento com um ramo de flores, uma caixa de pastéis de nata debaixo do braço e espero a festa acontecer.

    Que tal inspiração engavetada, prontinha a ver a luz do blog?

    Que venham mais trimestres, mas vagarosos, envergonhados a parecerem ano para que o calendário perca a mania das pressas.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  13. Querido amigo, que o seu sábado seja pleno de Paz, de Amor e de Poesia!
    José Carlos, beijos!

    ResponderExcluir
  14. Entre outras coisas apeteceu-me vir a junho e pensar que está calor, luminoso, sem excesso de luz claro está.

    Porque Tão será sempre iluminado e Preto cor pela ausência de outras.

    Um bom Ano Novo, é tudo o que te venho desejar, Tão, na simplicidade de um sopro daqui, do outro lado do Oceano.

    Cuida-te, inspira-te e escreve. . .

    ResponderExcluir